• Frete Grátis - Confira regra

    A Ikesaki oferece Frete Grátis

    nos produtos identificados

    com o selo promocional

  • BEAUTY EXPRESS ATÉ 24 HORAS

    Grande São Paulo - Até um dia útil

    Entrega Brasil - Veja os prazos

    no carrinho de compras.

  • Até 6x - Sem juros
Fechar
banner-notinha02
Na temporada de calor, com as frequentes idas às praias e piscinas, é comum exceder-se no sol, afinal, todo o mundo sonha em alcançar o bronzeado perfeito. No entanto, sem a cautela necessária, a irradiação solar pode prejudicar, e muito, a saúde da pele. Resultado? Ardência, descamação, ressecamento, manchas e, até mesmo, brotoejas. Mas calma! Ainda está em tempo de correr atrás do prejuízo. Veja o que dizem os dermatologistas Carla Albuquerque e Amilton Macedo.

1. Pele avermelhada

De acordo com Carla, a primeira coisa que deve ficar clara é que bronzeado saudável não existe. “Na verdade, ele nada mais é do que o resultado do esforço da pele em produzir melanina para se proteger da radiação ultravioleta”, ressalta. Imaginem a exposição solar sem a proteção adequada? As consequências são vermelhidão ou queimaduras graves com a formação de bolhas, dor e ardor.

Para os casos de vermelhidão, invista em cosméticos que contenham ativos calmantes e refrescantes para a pele, como aloe vera, calamina, extrato de camomila, azuleno e cânfora. “Esses produtos servem para todos os tipos de cútis e devem ser aplicados diariamente, logo após o banho”, indica a dermatologista. Já em casos mais graves, o ideal é procurar auxílio de um médico, que avaliará a necessidade de utilizar um medicamento anti-inflamatório.

2. Pele descascada

Após a queimadura solar, uma coisa é certa: a pele começa a descamar. Se você está passando por esse incômodo, evite banhos quentes. Prefira tomar banhos mornos ou frios e não se esqueça de usar um hidratante corporal logo depois. Dê preferência para aqueles mais leves e fluidos, com ação calmante e toque refrescante. Caso a cútis esteja muito ressecada, eviteusar sabonete no corpo. Passe somente na região das axilas, virilhas, mãos e pés. Isso porque a propriedade adstringente do produto pode agredir a derme.

3. Pele manchada

Essa é outra consequência nada agradável. Quando as manchas que aparecem na pele são sardas, que ocorrem por predisposição e escurecem com o sol, os especialistas tratam o problema com o auxílio de cremes clareadores ou tratamentos a laser. Mas quando a mancha é um melasma, problema agravado pela gravidez ou uso de pílulas anticoncepcionais, deve-se evitar ao máximo o sol, pois ele propicia o aumento do melasma – e jamais deixe de usar o filtro solar.

4. Lábios ressecados

Eles quase sempre são esquecidos na hora da proteção. E, ao contrário do que as pessoas pensam, a mucosa da região também está sujeita ao câncer de pele. Para proteger a região, recomenda-se o uso de um protetor labial. No entanto, para tratar o lábio já agredido pelo sol, a dica é investir em produtos à base de óleo mineral.

5. Brotoejas

Causada pelo entupimento das glândulas sudoríparas e muito comum no verão, elas não aparecem só em bebês e crianças. Adultos também podem sofrer com o problema. Para tratá-la, indica-se arejar a área lesionada e aplicar uma loção hidratante à base de calamina.